• Vanessa Cioffi

7 Características Comuns em Crianças Introvertidas

Crianças introvertidas têm um mundo interior que está vivo e presente para elas. Eles se envolvem com os aspectos mais profundos da vida.


Como uma criança introvertida morei parte da minha vida na cidade de São Paulo e parte dentro da minha imaginação. Adorava assistir um programa na TV Cultura que chamava "Mundo da Lua"com o Lucas Silva e Silva chamando diretamente. Alguém lembra? Eu ficava contente de passar tardes inteiras sozinha, escrevendo, pintando, desenhando, brincando de professora com meus amigos imaginários e sonhando acordada.

Quando adolescente, eu tinha um grupo de amigos que amava, mas adorava voltar para

casa, ficar em meu quarto ouvindo música e escrevendo em meu diário. Meus amigos não pareciam precisar da mesma quantidade de tempo sozinhos que eu precisava para conseguir “funcionar”. Achava que eu tinha um problema. Na verdade, às vezes, até hoje acho quando ouço que sempre estou a dizer que estou cansada ou com sono.


Somente depois de muito adulta que aprendi que há uma palavra para definir quem eu sou: introvertida. Por definição, os introvertidos se cansam facilmente com a socialização e precisam de bastante tempo de inatividade para recarregar suas energias. Um fato muito importante é que não há absolutamente nada de errado em ser introvertido! Não é uma fraqueza ou um distúrbio. Na verdade, até 40% da população são introvertidos, o que significa que muitos de nós "quietos" estão por aí e muitos “fingem” que são extrovertidos para se “encaixarem” nas convenções sociais.

Com o passar dos anos, cresci bastante como pessoa. Não sou mais a criança tímida que costumava ser. No entanto, ser introvertido é algo que nunca vai mudar em mim. Mesmo depois de adulta, ainda adoro escrever, sonhar acordada e passar um tempo sozinha. Isso ocorre porque a introversão (ou extroversão) é algo com que os humanos nascem e é determinado, em grande parte, por nossos genes. De acordo com a Dra. Marti Olsen Laney, que escreveu “The Introvert Advantage” (erroneamente traduzido como “A Vantagem do Tímido”), as crianças podem começar a mostrar sinais de introversão ou extroversão por volta dos quatro meses de idade.


Então, como são os introvertidos quando crianças? Não existem dois introvertidos exatamente iguais, mas crianças introvertidas tendem a compartilhar as sete características abaixo em algum grau:


1. Crianças introvertidas têm um mundo interior rico e vívido


O mundo íntimo de pensamentos e emoções é muito vivo para eles. E eles contam com este mundo interno e seus recursos internos para guiá-los, ao invés de recorrer constantemente a fontes externas para validação e suporte. “Em seu mundo particular, longe do mundo material, eles se concentram e decifram pensamentos e sentimentos complexos e intrincados”, diz o Dr. Laney sobre as crianças introvertidas.

Por causa de seu rico mundo interior, as crianças introvertidas gostam de brincadeiras imaginativas e de passar o tempo sozinhas. Muitas vezes você pode encontrá-los em seus próprios quartos ou em outros espaços isolados, fazendo atividades solitárias como ler, desenhar ou jogando sozinhos. Eu amava jogar “Paciência” com cartas por horas. Jogava até “Buraco’ sozinha.


Infelizmente, ter um mundo interior rico também pode ser uma faca de dois gumes, porque pode levar as crianças introvertidas a se sentirem isoladas e alienadas de seus colegas. Podem ser vistos como “esquisitos” por terem uma trupe de amigos imaginários ou por quererem passar todo o período de recreio sozinhos, observando as demais crianças. Portanto, é importante que os pais de crianças introvertidas os ajudem a ver como sua natureza tranquila pode ser uma fonte de força.


2. São curiosos e se envolvem com os aspectos mais profundos da vida


Embora crianças quietas e introvertidas sejam extremamente curiosas sobre o mundo e não têm medo de fazer grandes perguntas sobre a vida. Eles querem saber por que algo é do jeito que é, como algo funciona ou o que um evento ou experiência significa em níveis mais profundos. Às vezes, eles surpreendem os adultos em suas vidas com seu nível de criatividade e resolução de problemas, aparentemente possuindo sabedoria além de sua idade. Frequentemente, mesmo com pouca idade, crianças introvertidas têm a capacidade de sair de si mesmas e refletir sobre seu próprio comportamento, que é algo que nem todas as crianças podem ou conseguem fazer.


3. Observam primeiro e agem depois


Quando se trata de multidões e grupos de brincadeira, crianças introvertidas provavelmente serão encontradas nas bordas, assim como adultos introvertidos em uma grande festa. Eles podem parecer hesitantes e cautelosos em aderir, mas não é porque têm medo. Todos os introvertidos simplesmente tendem a “olhar antes de pular”, e mesmo os introvertidos adultos preferem ter tempo para se preparar mentalmente antes de se socializar. É como o cérebro de introvertidos funciona! Acessam o córtex pré-frontal, que é responsável por estruturar e processar informações, rapidamente, Crianças introvertidas podem “ganhar vida” em casa falando (às vezes, sem parar), brincando e sendo crianças, porque se sentem mais confortáveis.


4. Tomam decisões com base em seus próprios valores, não no que é popular


Como seus pensamentos e sentimentos os ancoram internamente, crianças introvertidas tendem a tomar decisões com base em seus próprios padrões, em vez de seguir a multidão. Eles caminham em seus próprios ritmos, escolhendo sua própria música, roupas, shows, livros e hobbies com base em seus interesses e não no que está na moda. Embora isso possa, novamente, possa destoá-los de seus colegas. Por outro lado, também pode ser um aspecto positivo de sua natureza, porque significa que eles são menos vulneráveis ​​à pressão dos colegas. Crianças introvertidas raramente fazem coisas apenas para se encaixar.


5. Leva tempo para que sua personalidade “real” apareça


Assim como os adultos introvertidos, as crianças introvertidas se interessam por novas pessoas lentamente e você não verá o seu eu "verdadeiro" imediatamente. Eles podem

ficar quietos e reservados ao conhecer alguém pela primeira vez, mas, à medida que se tornam mais confortáveis ​​na presença dessa pessoa, se abrem. Frequentemente seu objetivo na conversa é entender melhor o seu próprio mundo interior ou o de outra pessoa. Valorizam conectar-se e realmente conhecer as pessoas em um nível mais profundo. Podem trabalhar duro para tentar entender a natureza humana e o que faz alguém "funcionar".


Além disso, assim como os adultos introvertidos, as crianças introvertidas, geralmente, são boas ouvintes, prestam atenção e lembram o que a outra pessoa diz, embora possam evitar conversa fiada e se afastar se não estiverem interessados ​​em um tópico (mesmo quando adultos). Podem falar suavemente pausando ocasionalmente para procurar as palavras certas e parar de falar caso sejam interrompidas. Podem desviar o olhar ao falar para organizar seus pensamentos, mas fazem contato visual ao ouvir.


6. Podem ter dificuldades em ambientes de grupo, como escolas e creches


Com o passar dos anos e, particularmente na sociedade ocidental, nossos valores mudaram e a extroversão se tornou o ideal. Idolatramos aqueles que são extrovertidos e enfatizamos a aceitação do grupo e as realizações externas ao invés da reflexão silenciosa e tomada de decisão cautelosa. Esse padrão de extroversão foi incorporado a todas as instituições que crianças introvertidas encontram em suas vidas, desde as creches até a faculdade. Quando começam a frequentar escolas, podem passar de 6 a 7 horas por dia com até 30 outras crianças em uma sala de aula, tendo pouca ou nenhuma pausa do grupo e da socialização. Tudo isso é bastante desafiador para os introvertidos, que costumam se sair melhor em casa ou em grupos pequenos durante, principalmente durante os primeiros anos para então se adaptarem melhor a grupos maiores à medida que envelhecem.


7. Crianças introvertidas se socializam de maneira diferente de crianças extrovertidas

Como os introvertidos buscam profundidade nos relacionamentos e não amplitude, as crianças introvertidas podem ter apenas um ou dois amigos íntimos e considerar todos os outros conhecidos. Eles não passarão tanto tempo se socializando como passam as crianças extrovertidas e precisarão dar uma pausa, o que os faz deixarem o grupo por conta própria depois de um tempo para recarregar suas energias. Pais lembre-se que eles não estão com nenhum problema, apenas precisam descansar sozinhos!


Se ocorrerem lágrimas, colapso, mau humor ou problemas para dormir, isso pode significar que seu filho introvertido está super estimulado. A “ressaca introvertida” é real! A necessidade de um tempo a sós pode parecer estranha para você, caso você seja um extrovertido, afinal, socializar dá energia aos extrovertidos. Saiba que seu filho introvertido tem uma necessidade muito real de se recuperar após uma festa de aniversário, um encontro para brincar ou mesmo um dia agitado na escola, por exemplo.


Crianças Introvertidas versus Extrovertidas


Abaixo estão algumas características gerais de crianças extrovertidas que podem servir como um “termômetro” em termos de comparação com as crianças introvertidas:


· Falam em um tom rápido e com a voz alta, que potencializa quando estão nervosas;

· Mudam de assunto com frequência;

· Ficam próximos a pessoa com quem estão falando;

· Interrompem conversas frequentemente;

· Desviam o olhar ao ouvir;

· Ao falarem são muito expressivos com o rosto, as mãos ou o corpo;

· Ficam entediados e se desligam caso uma conversa se prolongue por muito tempo;

· Pensam na maioria das pessoas como amigos e não apenas conhecidos;

· Mergulham em novas situações rapidamente;

· Sentem-se energizados após atividades estimulantes, especialmente sociais;

· Reclamam ou se sentem esgotados se ficarem muito tempo sozinhos.


Se você é pai ou mãe de uma criança introvertida, a melhor coisa que pode fazer por ela é respeitar seu temperamento tranquilo. Ajude seu filho a entender por que se sente cansado e mal-humorado após a socialização. Ensine que não há nada de errado em passar um tempo sozinho e o ajude a aproveitar os muitos pontos fortes de ser introvertido.


Acima de tudo, nunca os deixe pensar que há algo errado com eles porque são introvertidos e jamais diga ou os chamem de tímidos. Introversão não é timidez! Quando abraçamos as crianças “quietas” damos a elas a confiança de que precisam para florescerem totalmente neste mundo barulhento.


P.S.: Todas as fotos são do meu arquivo pessoal e infância. Eu sendo uma criança introvertida ;)


Esse artigo ajudou ? Deixe seu comentário, dúvidas e acesse mais temas relevantes no meu site e nas minhas redes sociais.


Quer conhecer mais sobre Perfil Comportamental? Clique aqui.


Acompanhe Vanessa Cioffi no LinkedIn e Instagram


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo