• Vanessa Cioffi

7 Mitos sobre Transição de Carreira

Atualizado: Abr 1

“Em cada história de sucesso você encontrará alguém que tomou uma decisão corajosa.” - Peter F. Drucker


Transições de carreira são difíceis. Não é fácil mudar de emprego, ser realocado ou entrar em uma nova carreira. Considerando que passamos a maior parte do tempo no trabalho, as mudanças em nossas carreiras podem ser desestabilizadoras.

Transições de carreira são mais fáceis ou difíceis dependendo do perfil psicológico inato da pessoa. Alguns perfis, como o meu, preferem possibilidades, gostam de mudanças, pois traz motivação e esperança de novas oportunidades e crescimento. São pessoas que gostam de trabalhar com projetos e estar em constante movimento. Isso os reenergiza!

Enquanto outros perfis se apegam a pessoas e lugares e, como resultado, mudar para um emprego ou de carreira os afeta profundamente. São pessoas que tem uma necessidade maior de segurança (ou falsa segurança) e acham que o conhecido é melhor do que o desconhecido, como se pudesse exercer algum controle na situação que sabe o funcionamento.

No entanto, para existir crescimento na carreira é fundamental que haja as transições de carreira. O medo de mudar resulta, na maioria dos casos, em permanecer preso num emprego que odeia e gastando seu precioso tempo e energia numa carreira ou empresa que detesta. Ter medo de ir para o próximo emprego ou dar um salto no desconhecido pode custar muito caro no futuro.

Aqui estão sete dos mitos mais comuns que nos mantêm afastados das transições de carreira e nos mantêm escondidos:


1. “Transições de Carreira são difíceis”

O mito nº 1 sobre as transições de carreira é que são muito difíceis. Achamos que vai exigir muito tempo e energia para começar de baixo em uma nova carreira. Ou procurar e conseguir um emprego diferente. Ou até mesmo para pedir um aumento ou uma promoção, que envolve o medo do chefe ou de receber um “não” e ficar ainda mais desmotivado.


Invista no que te desafia a ser melhor, não no que camufle seu medo.


Em qualquer transição é necessário aplicar um nível de esforço e que causa desconforto. No entanto, o ROI do seu esforço pode muito bem ser recompensado com um avanço significativo na carreira. Ou você pode simplesmente ficar onde está e continuar “preso”.


Encare o fato de que para atingir qualquer objetivo e conquistas é necessário exercer força. Faça uma lista de todas as vantagens que virão com a sua transição de carreira. Pode aprender novas habilidades, ganhar mais dinheiro ou encontrar satisfação. Comparando os benefícios com os custos, você terá a coragem de fazer uma mudança.


2. “Não é o Momento Certo”

A agenda está lotada, as crianças estão demandando muito, a grana está curta, precisa reformar a casa... são tantas demandas que não há horas suficientes. Passar por uma transição de carreira precisa ser no momento certo... será?


Leia Mais: Como Decidi Abandonar o CLT e me Tornar Autônoma


Quantas dessas “desculpas” já passaram pela sua mente? A vida só fica mais movimentada à medida que avança. Nunca haverá realmente um momento certo para qualquer tipo de mudança. A única maneira de saber o que vai acontecer é, simplesmente, começando.


Pare de esperar e se preparar eternamente. Em vez disso, comece a tomar medidas para alcançar a transição em que você tem pensado tanto. Peça a promoção ou o aumento. Comece a procurar um emprego na empresa dos seus sonhos. Comece a economizar dinheiro para dar o salto em seu próprio negócio. Apenas comece!


“Todo corpo continua em seu estado de repouso ou de movimento uniforme em uma linha reta, a menos que seja forçado a mudar aquele estado por forças aplicadas sobre ele.” – Isaac Newton, Primeira Lei


3. “Não Conheço as Pessoas Certas”

Muitos pensam que é preciso conhecer as pessoas certas para avançar, pois quando começamos a pensar em transições de carreira, também pensamos em quem poderá nos ajudar. Quem pode ajudá-lo a obter a entrevista para o novo emprego que está procurando há meses? Com quem você pode entrar em contato para orientá-lo a iniciar seu próprio negócio?

Ao fazer transições de carreira, o networking é uma habilidade importante. Não conhecer as pessoas certas impede que muitos façam as mudanças de carreira que precisam.


Não ter os contatos certos não deve te impedir de iniciar sua mudança. O ato de iniciar sua transição é, de fato, o que te aproximará das pessoas que poderão te ajudar.


Quando fiz minha última transição, em 2017, de CLT para Autônoma, eu tinha uma lista enorme de “amigos” que eu acreditava que poderiam me ajudar, por termos um relacionamento próximo e de muitos anos, porém conto nos dedos de uma mão os que realmente ajudaram.


A ajuda real veio de pessoas que me aproximei no percurso da mudança e de onde eu menos esperava. Portanto, mude e as oportunidades brotarão conforme você se movimente. Só não permaneça em inércia, porque a energia não flui.


Uma boa prática é fazer um inventário de todas as pessoas que atuam na carreira, área ou empresa em que almeja fazer a transição e comece a segui-las nas mídias sociais. Descubra os eventos de rede em que participam ou conhecidos comuns que você possa ter. Aproveitando essas similaridades para entrar em contato e obter mais informações sobre o campo de trabalho.


4. “Não Tenho Dinheiro”

Algumas transições de carreira podem ser caras. Quando decidi deixar de ser CLT para iniciar meu próprio negócio, tive que garantir ter uma reserva financeira poderosa para me apoiar durante o turno, caso contrário, poderia entrar em desespero e ter que voltar com o “rabinho entre as pernas” e muito infeliz.

Participar de eventos, procurar emprego e até melhorar seu guarda-roupas pode ser uma despesa inevitável ao fazer uma transição de carreira. Meu guarda-roupas mudou completamente!! Raramente visto roupas sociais e saltos altos nem sei usar mais. Muita coisa doei e muitas outras pude vender e colocar na minha reserva financeira. No entanto, não permita que o desafio financeiro te impeça de encontrar e fazer o trabalho que gosta.

“Não guarde o que resta depois de gastar, mas sim gaste o que sobrou depois de guardar.” – Warren Buffett


Se você ainda não fez, comece a economizar agressivamente! Faça um orçamento detalhado, elimine todas as despesas desnecessárias e defina um objetivo mensal de economia. Ter reserva financeira é poder para que tome suas decisões sem pressão, sem medo e assertivamente.

5. “O que as pessoas vão pensar de mim?”

Uma das preocupações mais comuns, ao efetuar uma transição de carreira, é a opinião das pessoas. O que elas vão pensar se você mudar de carreira, mudar de emprego, fazer a transição para uma nova área, empresa ou começar a empreender?

Fique em paz com o fato de que suas decisões podem não agradar a todos. Aliás não agradarão!! Em vez de se preocupar com as pessoas, concentre-se em sua visão e planos de longo prazo para fazer as alterações necessárias.

Como teste decisivo, basta se perguntar: "Será que isso importa em cinco anos?" Se a resposta for não, não se preocupe muito com isso.

6. “Não Tenho Todas as Habilidades Necessárias para Mudar”

Você sabia que os homens vão para um emprego para o qual estão apenas 60% qualificados, enquanto as mulheres esperam até 100% para se candidatar ao mesmo emprego?


Não ter todas as habilidades necessárias para um determinado trabalho ou carreira não deve impedir você de fazer a transição. Aliás, provavelmente você nunca terá TODAS as habilidades e entender suas lacunas para trabalhar no seu desenvolvimento é essencial para a vida toda, não apenas em transições de carreira.

Você sempre pode adquirir novas habilidades, mais conhecimento e experiência ao longo do tempo. No entanto, algumas oportunidades perdidas são difíceis de recriar ou aparecer novamente. Evite ser tão autocrítico ao ponto de perder oportunidades.

Avalie as habilidades que você tem e as habilidades necessárias para ocupar o trabalho, carreira ou qualquer transição que planeja, então relacione as lacunas e faça seu plano de ação.

Evite se concentrar tanto no que você não tem e mais em aproveitar seus pontos fortes e nos recursos formais e informais que adquiriu ao longo do tempo para fazer a melhor transição possível.


7. "E se eu falhar?"


O medo do fracasso impede a maioria das pessoas de realizarem transições de carreira que poderiam ser benéficas. Em vez de planejar o sucesso, tendem a imaginar todos os possíveis cenários negativos. Como resultado, isso impede de pesquisar ou mesmo tentar qualquer transição de carreira.


Alguns casos extremos desenvolvem a Cacorrafiofobia, que é uma forma extrema do medo de falhar, porque não têm confiança nas suas capacidades e acabam desistindo completamente de tentar. Se necessário, procure ajuda especializada de um psicólogo ou psiquiatra.


Mantenha seus olhos focados no prêmio. Procure identificar os comportamentos, habilidade e atitudes que precisam ser desenvolvidas ou aprimoradas, assim aumentará a autoconfiança e visualize os resultados positivos futuros concluindo com êxito sua transição de carreira.


“Quando não podemos mais mudar uma situação, somos desafiados a mudar a nós mesmos.” – Viktor E. Frankl


Viktor Emil Frankl, que disse a frase acima, foi um Neurologista e Psiquiatra que sobreviveu a 4 campos de concentração na II Guerra Mundial, inclusive Auschwitz, e escreveu um dos livros mais incríveis sobre propósito e como a criatividade e adaptação às mudanças o ajudou a sobreviver, que é “Em Busca de Sentido”. Super recomendo a leitura!! E Viktor tinha um perfil INFJ, que é observador, criativo e organizado.

Espero que esse artigo te ajude a dar o primeiro passo para sua transição e uma vida com mais sentido!

Quer conhecer mais sobre Perfil Comportamental? Clique aqui.

Siga Vanessa Cioffi no LinkedIn e Instagram


_________


47 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo