• Catarine Beatriz

Do Autoconhecimento para o Auto Acolhimento

Atualizado: Abr 1

Já disse Caetano: descobrir a dor e a delícia de ser quem é. O autoconhecimento é como um portal que atravessamos em algum momento da nossa existência, e assim feito, não é mais possível voltar atrás. Jung já trazia a percepção de que uma vez atingido um estado de consciência, é dali para frente, não há como regredir.


Em tempos que a gente vem vivendo, se autoconhecer é uma dádiva, gosto de chamar de presente o fato de estarmos presentes em nossos próprios processos. Reconhecendo, integrando, perdoando e curando questões do passado que nos trouxeram aqui, e dissipando a ansiedade do que está por vir. É como um estado de paz de espírito, poder enxergar fragmentos da sua história que te formaram, que enlaçaram os fatos construindo o que você é hoje, e claro, tendo a oportunidade de observar e modificar características, que antes julgadas permanentes, mas que não agregam mais na história que você está construindo de si mesmo.




O mais encantador de tudo isso, é poder reconhecer as próprias sombras transformando-as em motivos diários de evolução. Há quem tema olhar o que têm debaixo do tapete, mas a luz só entra naquilo que for aberto, e consequentemente descoberto. Ultimamente tenho visto o autoconhecimento, como auto acolhimento. Toda aquela expectativa que colocamos nos outros, surge de nós mesmos. Já parou para refletir que pessoas felizes e em paz com os próprios processos, dificilmente cobram de outrem? É claro que no fim do dia, um cafuné e uma mensagem de boa noite aquecem o coração, mas se auto acolher é um caminho de estar em paz consigo, e com aqueles que te cercam.


Um ponto que também é mágico do autoconhecimento e acolhimento, é parar de terceirizar quando algo vai na contramão das suas expectativas e desejos. Quantas vezes utilizamos o nome de Deus, Universo e demais energias criadoras, para culpar um caminho infeliz que estamos seguindo? Acredito sim em toda essa existência maior, mas percebo que quanto mais a gente se conhece, mais somos responsáveis por aquilo que nos acontece. A vida é um acontecimento diário feito de escolhas, e sim, todos os dias a gente pode escolher caminhos que ressoam de maneira mais próxima do nosso coração. E aí você pode estar se perguntando: “mas hoje não consigo sair do meu trabalho que não gosto”, “estou em um relacionamento infeliz e não consigo terminar”, “faço uma faculdade que não ressoa comigo, mas tenho medo de largar”...



e aí eu te questiono: aquilo que você quer, você sabe?


Não podemos abrir novos caminhos sem antes saber onde, quando, como, e o que desejamos de fato. O autoconhecimento também é sobre isso, ter clareza daquilo que se deseja, para se afastar daquilo que não ressoa. Será que não é uma sombra, associada à auto sabotagem, não conseguir mudar o rumo do próprio destino? Tenho aprendido que o conforto não move ninguém,


então se questione: seria eu, um ser confortável, em uma situação que julgo ruim?


O medo nunca abriu portas, mas reconhecer estar na zona de conforto, e desejar sair dela, pode abrir uma nesse instante. E é nessa hora que se autoconhecer, e se acolher faz bem. Compreender as próprias sombras, e não colocar expectativas externas para a mudança que você tanto clama.



Agora como começar de fato a mudar? Isso conversamos no nosso próximo encontro! Vou partilhar um pouquinho da minha história com vocês.


Um beijo com amor,


Catarine Beatriz.


_________




32 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo