• Giuliana Galdino

O que é "comer normal"?


Quando iniciei minha jornada como uma nutricionista para além da graduação, eu enxergava uma necessidade quase que visceral de buscar algo por trás daquela dieta que o paciente prega na geladeira como um dogma.


“Siga isso corretamente e sistematicamente e eu te prometo saúde e longevidade.”


Eu me questionava. Ainda que a formação tivesse me capacitado sobre nutrientes, calorias e composição centesimal dos alimentos, nunca me enxerguei enquanto uma "dietista", nome atribuído à profissão antigamente e em outros países. Não poderia ser um profissional ditador de regras, se entendo o ato de nutrir-se como individual e, portanto, intransferível.


Trouxe hoje esse trecho o qual, quando li, pude ter certeza que era possível ser humana e acolhedora, mesmo que detentora da capacidade profissional e autorizada a prescrever dietas ou planos alimentares.

“Alimentar-se normalmente é ser capaz de comer quando você está com fome e

continuar comendo até ficar satisfeito. É ser capaz de escolher os alimentos que você gosta e comê-los até aproveitá-los suficientemente – e não simplesmente parar porque você acha que deveria.

Alimentar-se normalmente é ser capaz de usar alguma restrição na seleção de alimentos para consumir os alimentos certos, mas sem ser tão restritivo a ponto de não comer os alimentos prazerosos.

Alimentar-se normalmente é dar permissão à você mesmo para comer as vezes porque está feliz, triste ou chateado ou apenas porque é tão gostoso.

Alimentar-se normalmente requer um pouco do seu tempo e atenção, mas também ocupa o lugar de apenas uma área importante, entre tantas, de sua vida.

Resumindo, o “comer normalmente” é flexível e varia em resposta às nossas emoções, nossa agenda, nossa fome e nossa proximidade com o alimento”.

Ellyn Satter – nutricionista, terapeuta familiar e uma autoridade reconhecida internacionalmente em alimentação & comportamento alimentar



Se a sua rotina alimentar não prevê toda essa vulnerabilidade enquanto ser humano, podemos pensar de duas formas: ou você vive em função da sua dieta ou esconde suas dores através dela como forma de “controle”. Já parou pra pensar?


Acredito que o “comer normal” hoje, até por questões sociais tão discrepantes, é comer o que se tem disponível. Imagina se existisse uma única forma? Estaríamos condenados à prisão de nossos recursos escassos, além de altamente vulneráveis às condições que nos cercam, sejam elas intrínsecas ou extrínsecas.


Hoje eu apenas venho aqui para te desejar #PAZCOMACOMIDA














14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo